Monday, July 14, 2008

Os famosos e a formação de opiniões

Basta alguém famoso falar alguma coisa contra o politicamente correto que aparece um monte de gente de reputação supostamente politicamente correta, que cai de pau em cima dela (metaforicamente) dizendo que essa pessoa é uma formadora de opinião e deveria ter cuidado com o que fala, pois outras pessoas provavelmente adotarão a mesma posição dela em um futuro próximo. Noutro dia uma modelo e atriz, cujo nome não vou me dar ao trabalho de procurar na internet, falou no maravilhoso e educativo programa de Hebe Camargo, que não gostaria de ter um filho homossexual. No outro dia, figuras associadas ao movimento pelos direitos dos homossexuais fizeram o que eu disse acima ipsi literis. Duas coisas a serem observadas sobre episódios desse tipo. A primeira é o fato de que qualquer um tem o direito de expressar sua opinião, desde que não ofenda ninguém. A moça não ofendeu os homossexuais porque disse que não gostaria de ter um filho homossexual. Ela tem o direito de querer que o filho dela seja realmente do jeito que ela quer e tem o direito de expressar essa vontade. Sendo assim, a modelo e atriz não fez nada demais. A segunda coisa concerne ao motivo que limita ao politicamente correto a opinião e o discurso das pessoas que aparecem na televisão, ou seja, a idéia de que uma pessoa desse tipo é uma formadora de opiniões. Sinceramente! O sujeito que acredita nisso acredita em duas coisas complementares, a saber: 1) a retórica do sujeito famoso é plenamente convincente em qualquer situação; 2) as pessoas que recebem o discurso têm necessariamente problemas de cognição, o que as leva naturalmente a aceitar tudo o que um famoso fala. A primeira não pode ser verdade. A maior parte das pessoas que aparece na televisão não sabe nem o que é retórica. Tem gente na universidade que não sabe. Quanto mais uma modelo e atriz ou um ex-participante de reality show e etc. Quanto à segunda, tenho dúvidas sobre sua veracidade e isso por causa de um problema quantitativo. A média da população realmente tem problemas de cognição. Talvez por isso tenda a não discernir os limites quanto à verdade (não apenas no sentido factual) do discurso de alguém que alcançou a honra de ser famoso. Mas por outro lado, duvido muito que a opinião de alguém famoso seja fundamental para definir o posicionamento das pessoas, mesmo daquelas com dificuldades em discernir as coisas. A constituição de uma visão de mundo é um processo bem mais complexo do que isso.

1 comment:

allane said...

1º essa atriz não tem o direito de falar o que quiser em rede nacional. não mesmo. mesmo que o discurso dela não ofenda explicitamente ninguém.

TV não é a casa da mão joana não, ou pelo menos não deveria.

2º não é só porque uma pessoa prefere não ter filhos homossexuais que ela necessariamente é homofóbica, claro. mas suponho que, se caíram em cima dela, foi porque a declaração provavelmente ofendeu alguém.

você tem direito de não querer ter filhos negros, nordestinos, deficientes físicos e o escambal por uma série de motivos. mas, a maioria deles, vc há de convir, são bem preconceituosos. portanto, se a atriz declara uma coisas dessas sem maiores explicações, vai ser encarada como homofóbica com toda razão.

quer falar o que quer? aguente as consequências.